fbpx

Ao vivo! CONHEÇA a carreira de Oficial de Chancelaria

Assista Agora – CONHEÇA a carreira de Oficial de Chancelaria



Baixar apostila para concurso

O Ministério das Relações Exteriores publicou em 2015 o último concurso MRE destinado ao provimento de 60 vagas para o cargo de Oficial de Chancelaria.

A Fundação Getúlio Vargas – FGV foi a organizadora do certame. O concurso foi homologado em maio de 2016. Em 2018 o prazo de validade do certame foi prorrogado até 11 de maio de 2020. 

Confira ao longo desta matéria mais informações sobre o concurso, para facilitar, navegue utilizando o índice abaixo:

Concurso MRE: remuneração e benefícios

De acordo com a Lei nº 12.775, de 28 de dezembro de 2012, o cargo de Oficial de Chancelaria é organizado nas classes: A, B, C e Especial, cada uma possui 5 padrões.

Desta forma, o servidor ingressa na carreira na classe A, padrão I, recebendo subsídio inicial de R$ 9.330,06. No topo da carreira, classe Especial, padrão V, o subsídio chega a R$ 13.653,48.

Concurso MRE Oficial de Chancelaria: estrutura remuneratória.

 Além do subsídio, os servidores têm direito ao auxílio alimentação e a assistência de saúde pessoal e familiar. Podendo receber ainda retribuição pelo exercício de função de direção, chefia e assessoramento.

Concurso MRE: cargos e vagas

O certame ofertou vagas para

Oficial de Chancelaria
Vagas: 60
Jornada de trabalho: 40 horas semanais

Concurso MRE: carreira

Requisitos

São requisitos para a investidura no cargo de Oficial de Chancelaria:

  • ter nacionalidade brasileira; no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos políticos;
  • ter idade mínima de 18 anos completos;
  • apresentar diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério de Educação;
  • estar em pleno gozo dos direitos políticos e civis;
  • estar quite com as obrigações eleitorais e, se do sexo masculino, também com as militares;
  • firmar declaração de não estar cumprido e nem ter sofrido, no exercício da função pública, penalidade por prática de improbidade administrativa, aplicada por qualquer órgão público ou entidade da esfera federal, estadual ou municipal;
  • apresentar declaração quanto ao exercício de outros cargos, empregos ou funções públicas e sobre o recebimento de provimentos decorrente de aposentadoria e pensão;
  • apresentar declaração de bens e valores que constituam patrimônio;
  • firmar declaração de bens e valores que constituam patrimônio;
  • firmar declaração de não estar cumprido sanção por idoneidade, aplicada por qualquer órgão público ou entidade da esfera federal, estadual ou municipal;
  • ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições da carreira;
  • estar apto física e mentalmente para o exercício da carreira;
  • não apresentar antecedentes criminais;
  • não estar incompatibilizado para nova investidura em cargo público federal.

Atribuições

Segundo a Lei 11.440/2006, o Oficial de Chancelaria formula, implementa e executa atos de análise técnica e gestão administrativa necessários ao desenvolvimento da política externa brasileira.

Concurso MRE: etapas

O concurso foi composto de duas etapas:

  • primeira etapa: composta de prova escrita objetiva e prova escrita discursiva, ambas de caráter eliminatório e classificatório.
  • segunda etapa: composta por curso de preparação, de caráter eliminatório e classificatório.

As provas foram realizadas nas cidades Brasília-DF, Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP, Recife-PE, Porto Alegre-RS e Belém-PA.

Prova escrita objetiva

A prova escrita objetiva de múltipla escolha foi composta de 80 questões de múltipla escolha, com 5 alternativas e apenas uma resposta correta.

Disciplinas

Os candidatos tiveram os seus conhecimentos avaliados por meio das disciplinas:

  • Língua portuguesa – 20 questões
    Língua inglesa – 20 questões
    Noções de Direito – 15 questões
    Noções de Contabilidade -15 questões
    Raciocínio Lógico – 10 questões

Prova escrita discursiva

A prova escrita discursiva foi aplicada no mesmo dia da prova objetiva.  Esta prova valeu 120 pontos e foi constituída de:

  • prova de língua portuguesa; e
  • prova de língua inglesa.

Cada prova foi composta por três questões:

A primeira questão propôs a elaboração de um resumo.

A segunda questão consistiu na elaboração de um texto a partir de uma situação comunicativa real.

A terceira questão propôs possíveis interpretações de um texto, privilegiando-se a busca e a identificação de estratégias linguísticas produtoras dos efeitos desejados.

Todas as questões avaliaram o desempenho linguístico do candidato: a coesão, a coerência, a clareza, a adequação da variedade linguística, a capacidade de inferência e a correção gramatical.

Curso de Preparação à carreira de Oficial de Chancelaria

A segunda etapa é o Curso de Preparação com duração total de 40 horas, a ser realizado pelo Ministério das Relações Exteriores, em Brasília-DF.

Durante o Curso de Preparação, o candidato faz jus a auxílio financeiro.

Concurso MRE Oficial de Chancelaria: nomeações

Até o momento foram nomeados os 60 candidatos aprovados dentro das vagas. Concorreram as vagas 15.463 candidatos, o que levou a concorrência a média de 257,72 candidatos por vaga.

Realizado em 2008, o concurso para Oficial de Chancelaria ofereceu 150 oportunidades para a carreira. Mas, de acordo com informações da assessoria do órgão, entre os aprovados da seleção, 227 tomaram posse, ou seja, 51% a mais do que o quantitativo de vagas imediatas previsto no edital de abertura.

De acordo com a Fundação Carlos Chagas, 10.893 candidatos concorreram as 150 vagas, o que configurou uma concorrência média de 72 candidatos por vaga.

Motivos para fazer o concurso MRE Oficial de Chancelaria

Um dos diferenciais da carreira é a possibilidade de o servidor poder trabalhar tanto no Brasil (em Brasília ou nos escritórios de representação nos estados) quanto nos postos do Itamaraty em países estrangeiros.

Para tanto, após cumprir o prazo mínimo de dois anos de lotação na capital federal, o servidor poderá se inscrever no plano semestral de remoções para servir no exterior. Segundo o órgão, o servidor pode indicar um ou mais postos em que deseja servir, desde que haja vagas disponíveis. Os pedidos são então analisados por uma comissão de remoção, tendo como base o interesse da Administração, o grau de representatividade da missão, as condições específicas de vida no local, o perfil e as qualificações funcionais do servidor, entre elas o conhecimento de língua estrangeira.

Se o pedido for aprovado, durante o período em que estiver no exterior, o servidor recebe sua remuneração em dólar americano, podendo variar conforme a classificação do posto. E, a exemplo do que fazem outros países e organizações internacionais, têm por base estudos sobre custos de vida e variam de acordo com cada país. Entre outras considerações, a definição de valores baseia-se na remuneração de organismos como a Organização das Nações Unidas (ONU) e em estudos fornecidos pela Mercer Consulting, empresa norte-americana especializada em cálculos de custo de vida para governos de vários países e agências internacionais. O servidor removido para o exterior recebe, ainda, auxílio moradia.

No exterior, o servidor pode solicitar o retorno para a Secretaria de Estado, em Brasília, mas sua movimentação entre postos é regida pelos mesmos critérios.

Concurso MRE: Lei nº 12.601 criou novos cargos na carreira

Sancionada pela presidente Dilma em março de 2012, a Lei nº 12.601, de 23 de março de 2012, determina a criação de 893 cargos para oficiais de chancelaria com provimento gradual. 

Resumo do concurso MRE Oficial de Chancelaria

Lorena Martins

Lorena Martins
Equipe de Comunicação do Gran Cursos Online



Fonte: Gran Cursos Online

Download disponível – CONHEÇA a carreira de Oficial de Chancelaria



Baixar apostila para concurso

%d blogueiros gostam disto: