fbpx

Governo cortou mais de 2 milhões de benefícios do auxílio emergencial

Os cortes no número de beneficiários do auxílio emergencial continuam aumentando. Nesta última rodada de pagamentos, cerca de 2 milhões de cidadãos deixaram de ganhar o auxílio. Isso ocorre por meio de um pente fino que visa identificar fraudes e evitar pagamentos indevidos.

Leia também: Confirmado! Caixa autoriza 3 anos de saque do FGTS de uma só vez

Só em junho, mais de 1,1 milhão de benefícios já haviam sido cortados. Contudo, até o momento, a maioria dos cortes se dá por pagamento indevido. Isso ocorre em algumas circunstâncias.

Quando o Auxílio Emergencial pode ser bloqueado?

Um dos principais motivos de bloqueio é quando o cidadão que estava sem renda passa a receber. Ou então a renda aumentou nos últimos meses. Confira alguns exemplos:

  • O cidadão que até então não tinha emprego formal registrado em carteira; mas conseguiu um trabalho
  • Quem passou a receber aposentadoria ou outro benefício do INSS;
  • Quem começou um estágio ou se a renda familiar aumentou;
  • O cidadão que fraudou documentação;
  • Servidores públicos; entre outros.

Como saber se meu auxílio foi bloqueado?

Você deve consultar se teve o benefício bloqueado ou não pelo site da Dataprev: consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta.

Como pedir o desbloqueio do auxílio emergencial 2021?

Caso seu auxílio esteja bloqueado, é possível recorrer da decisão. No site da Dataprev existe a opção “contestar”. Ali você preencherá um formulário e explicará a situação. Depois é só aguardar o prazo para análise.

Leia também: Auxílio-inclusão: Saiba quem vai receber o benefício de R$ 550

Segundo o Ministério da Cidadania, mais de 1 milhão de contestações feitas nos primeiros meses de 2021, só 155 mil foram analisadas e tiveram resposta para o cidadão. Por outro lado, o Governo Federal garante que todos os pedidos serão analisados.

Auxílio emergencial 2021

Ao todo, segundo o Governo, 39,3 milhões de famílias foram contempladas pelo benefício em 2021. O Ministério da Cidadania informou que abrirá processo de contestação e de novos cadastros. 

Foi projetado um valor de R$ 11 bilhões por mês e o atendimento de 45,6 milhões de pessoas para este ano.

Entretanto, com os cortes realizados até aqui, o governo reduziu os gastos com o programa. De R$ 8,9 bilhões, em abril o saldo caiu para R$ 8,85 bilhões, em maio. O balanço terminou em R$ 8,5 bilhões em junho, de acordo com a Folha de S. Paulo.


Fonte: Edital Concursos Brasil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: